Tudo sobre a 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

Diante de um ano atípico, marcado por uma crise sanitária, econômica e social de nível mundial, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, como tantos outros festivais internacionais de cinema, precisou se adaptar para manter de pé a sua 44ª edição. Em meio à imperatividade do distanciamento social, então, a Mostra 2020 acontece entre os dias 22 de outubro e 4 de novembro, pela primeira vez majoritariamente online.

(Mostra Internacional de Cinema/ YouTube)

Ao todo são 198 filmes selecionados, de 71 países diferentes, distribuídos entre as seções Perspectiva Internacional, Competição Novos Diretores, Mostra Brasil e Apresentação Especial e exibidos para todo o Brasil através da plataforma Mostra Play. Os títulos serão disponibilizados a R$ 6 por visualização/ingresso, e haverá número limitado de visualizações por filme. A venda de ingressos começa no dia 22 de outubro à 0h01.

Também ocorrerão exibições gratuitas na Spcine Play e no Sesc Digital, além de sessões no Belas Artes Drive-in (Memorial da América Latina) e no CineSesc Drive-in (na unidade Sesc Parque Dom Pedro II). 

Nesta 44ª edição, o Prêmio Humanidade será entregue aos funcionários da Cinemateca Brasileira e ao documentarista estadunidense Frederick Wiseman. A produtora Sara Silveira, que integra o júri da Mostra, será homenageada pelo evento com o Prêmio Leon Cakoff, por seu trabalho pioneiro na internacionalização do cinema brasileiro – como destacou, durante a coletiva de imprensa virtual de lançamento da Mostra, Renata de Almeida, diretora do evento.

A quarta edição do Fórum Mostra será realizado virtualmente nos dias 28, 29 e 30 de outubro. Além disso, haverá um curso sobre a arte cinematográfica ministrado gratuitamente pelo cineasta Ruy Guerra, com a participação do historiador Adilson Mendes.

A PROGRAMAÇÃO

O mexicano Nova Ordem (Nuevo Orden), dirigido por Michel Franco e vencedor do Grande Prêmio do júri em Veneza, abre a Mostra no dia 22 de outubro, às 19h30, no Belas Artes Drive-In, com apresentação virtual de Renata de Almeida e Serginho Groisman. O público terá acesso à cerimônia pela plataforma Mostra Play e, a partir da 00:01 do dia 23, o título também poderá ser visto online.

“Nova Ordem”/ Divulgação

Além do longa de abertura, outros 24 títulos latino-americanos compõem a programação deste ano. Entre eles o chileno Aranha, escolhido como candidato de seu país ao Oscar 2020, e a fantasia uruguaia Chico Ventana Também Queria Ter um Submarino, que teve estreia mundial no Festival de Berlim deste ano.

Ainda ganham sessões os brasileiros Casa de Antiguidades (cotado para representar o Brasil no Oscar 2021), Cidade Pássaro (filme sobre imigração que teve estreia em Berlim) e Um Dia com Jerusa (primeiro longa-metragem brasileiro de ficção com uma equipe predominantemente formada por mulheres negras). Na seleção internacional, destaque para o vencedor do Urso de Ouro em Berlim, Não Há Mal Algum (There is no Evil), dirigido pelo iraniano Mohammad Rasoulof.

Este ano, a Mostra SP tem a arte do pôster assinada pelo diretor chinês Jia Zhangke, que terá seus mais recentes trabalhos na programação. Um deles, o curta A Visita, foi filmado com um celular durante a pandemia do novo coronavírus e retrata um encontro de trabalho permeado por protocolos sanitários.

De acordo com Almeida, aliás, questões que marcaram e continuam marcando 2020 já reverberam como temática em algumas das produções selecionadas. Assim, em um dos momentos mais difíceis da história recente do cinema, a Mostra Internacional de São Paulo se reinventa, mantendo, sobretudo, sua relevância como um dos mais tradicionais eventos culturais do país. 

Para acompanhar a programação completa, fique de olho no site oficial do evento.

Dúvidas? Acesse o FAQ da Mostra

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta